Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘manifestação’

Me desculpe a franqueza, não creio muito nisso não…. Espero de todo coração estar errada, se estiver, engolir essas palavras vai ser um prazer, mas seja minha distopia, distimia ou pragmatismo. Não consigo ver revolução no rumo que as coisas estão tomando.

ImagemTerça (18/06) mesmo depois dos atos de vandalismo no centro, resolvi dar uma volta na Paulista. E o que vi estava mais próximo de uma festa do que de um ato político. Para a minha tristeza os cara pintada voltaram. Ok brasileiro é despolitizado, eu mesma tenho muito a aprender, mas ver por todo lado pessoas fazendo pose pra tirar foto pra facebook, sorrindo, felizes, com seus rostos pintados de verde e amarelo e a bandeira por todos os lados me embrulhou o estômago. E a quantidade de reivindicações incluindo a piada ‘abaixo a corrupção’, me fez ver como a coisa está caminhando pra uma causa perdida.

Sinto como se todo o tempo que gastei nos últimos dias discutindo e explicando sobre os protestos tivesse sido jogado fora. Pois agora até o imbecil do Arnaldo Jabor, estrelas da Globo entre outros reaças estão falando bem dos protestos. Só falta a Veja levantar a bandeira dos 20 centavos.

Ok deu certo, voltaram atrás o valor da tarifa, mas como o MPL sempre frisou que as manifestações eram apenas para a redução do valor e agora como fica? Simples o evento que já estava marcado continua e segundo saiu na imprensa é pra comemorar. Como é que é? Comemorar? Vocês vão parar a Paulista pra comemorar? Não é que eu esteja desmerecendo a vitória, mas eu acho que o Brasil tem muito pra consertar pra comemorarmos tão cedo. Essa comemoração só reforça minha tese de que virou festa.

Vivemos num país onde um cretino aprova a ‘cura gay’ um dia depois do congresso ser invadido. Onde metade das leis são piadas prontas. E onde candidatos que tiveram sua corrupção comprovada continuam no poder. Menos pose, mais atitude! Menos patriotismo mais gritos de luta! Chega de cantar hino nacional, “sou brasileiro com muito orgulho”, pintar a cara de verde e amarelo, carregar a bandeira nas costas… Não é um ato de patriotismo é um ato de protesto. Você está puto da vida e não orgulhoso ou feliz.

E acima de tudo: Aproveite sua própria vontade de mudar o Brasil e comece por mudar a si mesmo. Pense e pesquise! Estude história, política, filosofia, sociologia. Mude suas atitudes diárias de jogar lixo na rua, de parar em fila dupla, de pensar apenas em si mesmo. Porque você vive numa sociedade e se você não se incomoda em ver as pessoas passando fome ou espremidas num ônibus porque você tem seu carro e sua comida, se você acha que a desigualdade social não afeta sua vida repense isso quando tiver um cano apontado na sua cabeça. O simples medo constante em que vivemos é algo que afeta a todos, pois boa parte da violência é reflexo da desigualdade social.

Pra quem for de SP sexta 21/06 tem manifestação contra o projeto de ‘cura’ gay, as 18h da praça Roosevelt. E contra o PEC 37 em SP sábado 22/06 no Masp das 15 as 20h. RJ domingo 23/06 as 16h em Copacabana posto 4. Brasília quarta 26/06 as 14h Praça dos Três Poderes

Espero não ver cartazes de ‘abaixo a corrupção’ e menos ainda Fora Dilma (você sabe quem fica se ela sair?). Como disse antes, leia, pesquise, estude e PENSE!!!!

É lindo ver a Paulista desse jeito:

Imagem

Mas o Collor mandou um beijo!

Anúncios

Read Full Post »

Desde quinta feira até algumas horas atrás perdi a conta de com quantas pessoas eu discuti tentando fazer a pessoa entender que quem começou a violência no protesto de quinta foi a polícia. Mesmo eu falando ‘gente eu estava lá’ e mostrando links e vídeos fui chamada de: vagabunda, baderneira, ridícula, burra…. Pois se uma pessoa fala ‘os manifestantes são todos X’ e eu sou manifestante então eu também sou X, daí quando você responde de forma mais grossa a pessoa vem com o hipócrita, mas você é diferente.

Eu devia ter escrito esse texto na sexta. Ele teria mais sentido, pois creio que apesar dos incidentes de hoje, as pessoas viram a diferença das manifestações com e sem a polícia. Não sei como foram os 3 primeiros atos, alguns dizem que a violência começou da polícia. Outros afirmam que foi um pequeno grupo que resolveu continuar da forma que eles julgavam certo (com vandalismo). Se foi isso, se um grupo menor saiu depredando tudo que viu pela frente eles estão errados, mas isso não justifica o que houve em São Paulo quinta nem o que rolou domingo no Rio de Janeiro.

Na quinta feira em São Paulo a coisa foi tão descabida que a Tropa de Choque jogou bombas mesmo com dezenas de homens da PM no local. Ou seja a polícia atacou a própria polícia. Isso prova o quanto a atitude foi truculenta e sem sentido. Além disso pessoas foram revistadas ao sair do metrô e quem tinha vinagre e máscara foi detido, pois vinagre é usado para diminuir os efeitos do gás lacrimogêneo. E algumas pessoas detidas na terça estão sendo acusadas de formação de quadrilha, crime inafiançável e as que tem fiança as fianças giram em torno de R$20 mil. Isso é repressão pura, digna de um AI-5 como li.

Quinta feira dia 13/06 como divulgado publicamente no facebook, houve a concentração das pessoas para o Quarto grande ato contra o aumento das passagens. Andando nas proximidades do Viaduto do Chá vi de longe um reforço de barricada e da Guarda Civil em frente a prefeitura, bem como alguns membros da Tropa de Choque, compreensível. Mas havia um tumulto na estação Anhangabaú que logo foi esclarecido, estava havendo revistas de todos que saiam da estação. O que por si só já é uma atitude repressora. Foram nessas revistas que várias pessoas foram levadas pra averiguação incluindo um repórter da Carta Capital por estarem portando vinagre. Mas no local mesmo da manifestação não tinha tantos PM’s. Apenas a quantidade normal que mandam pra qualquer evento com aglomeração de pessoas.

O 1º ato foi fechar a Xavier de Toledo, o que foi feito na hora que o semáforo fechou. Em menos de 20min a PM e CET tinha retirado carros e ônibus da Xavier e do Viaduto do Chá. E a manifestação pacífica, com batuques e gritos de ordem resolve andar. Na Praça da República pequena tensão por conta da dispersão da passeata e mistura com transeuntes, que estavam com medo e perdidos, pois o metrô havia fechado uma das saídas. Mas logo o grupo se reuniu na Ipiranga entre a praça e a Consolação. Voltamos a andar e paramos de novo na Consolação altura da Praça Roosevelt, como não havia carro de som quem estava atrás não sabia os porque das coisas. O bloco maior parava, todos paravam. Eis que surgem uns 20 homens da Tropa de Choque e em formação de guerrilha se posicionam no que seria a frente da manifestação. Ouvimos bombas, rojões, corre-corre e o bloco maior foi para a calçada e escadas da Rosevelt com algumas pessoas (manifestantes, curiosos e transeuntes) no entorno. Eu fiquei do outro lado da rua há poucos metros da PM e essa situação durou alguns minutos (10 ou 20), mas agora sem bombas, só o clima de tensão e os gritos dos manifestantes de “Sem Violência”.

Ou seja estávamos todos parados, e como num pesadelo surge uma parede preta se movendo com o som forte das batidas de cassetetes nos escudos, típica tática de guerra. Era a Tropa de Choque, com certeza mais de 100 homens. Gelei! Mas antes que eu pensasse no que fazer a guerra começou foi uma chuva de bombas com as pessoas correndo para todos os lados. Os que estavam na praça foram na sua maioria pra dentro da praça. Os que estavam do outro lado, manifestantes, curiosos, PM e quem estava passando, foi andando encostado a parede até a Rua Rego Freitas, já que a choque estava na outra ponta.

Se você não acredita fica aqui o vídeo

Pra quem não quiser assistir ou precisa de ‘legendas’. Um policial estava negociando com representante do movimento passe livre o trajeto da manifestação. Eles combinaram de esperar a chegada de uma outra pessoa pra fechar a negociação, a conversa segue, o policial elogia a manifestação diz ‘Dessa vez está de parabéns’, até 1:55 ainda dá pra escutar a voz do policial. Segundos depois dá pra escutar as primeiras bombas que a choque dispara na frente da Roosevelt, em 30 segundo as bombas chegam onde estava rolando essa negociação, esquina da Maria Antonia com a Consolação.

O que era uma manifestação pacífica virou cenário de guerra. Uma parte das pessoas (um grupo maior) tentava se reunir e manter o protesto, muitas pessoas foram embora e outras pessoas começaram a tacar fogo no lixo e quebrar coisas. Jovens com o rosto coberto e os típicos trombadões do centro se misturaram na ‘zona de guerra’ e iam as pressas amontoando lixo e tacando fogo. E o som das bombas não parava, mas era algo mais voltado para a multidão do que para os que estavam causando a destruição.

Ouvi muita gente falar ‘vi os caras vandalizando sem ter polícia por perto’. Jura? É preciso explicar que esse vandalismo foi a resposta do que aconteceu e não de uma perseguição ou coisa do tipo? Se você der um tapa em 100 pessoas a maioria vai embora, alguns vão tentar conversar e outros vão te dar uma voadora. Isso é humano. Só estando lá pra saber o que é olhar para uma parede de repressão e violência. É revoltante. Eu não concordo, mas entendo o porque tanta gente perde a cabeça. E isso tudo são táticas de guerrilha: “A medida que uma revolução pacífica se desenrola, o Estado emprega força bruta para gerar cenas de violência. Essa violência por sua vez prolonga a necessidade do Estado de fornecer serviços de segurança ao público. É um ciclo vicioso criado por tiranos para prolongar a sua permanência no poder.” Quem sabe se a Choque deixasse a manifestação prosseguir em paz e fosse caçar quem estava vandalizando um número menor de coisas teria sido depredado. Mas a preocupação deles era parar a manifestação em si. Foi preciso que eles acertassem uns 5 reportes para as pessoas começarem a acordar e a imprensa a pressionar.

Não sei o que motivou o vandalismo de hoje no Rio, que por mais que tenha sido na Assembléia Legislativa, me partia o coração por ser um prédio histórico. Mas por pior que seja isso não apaga a violência da Choque do Rio que soltou bombas num parque cheio de crianças. E não tem como culpar os manifestantes já que eles entraram pra se proteger.

Hoje segunda teve pelo menos 3 episódios de violência em BH, RJ e SP. Brasília mesmo tendo uma invasão ao Congresso não teve reação violenta da polícia. A de SP ficou claro que foi um ato de uma minoria, a maioria nem estava mais no local. Isso é normal, sempre vai ter os mais exaltados, os que acreditam no poder da violência, os que sentem prazer nessas atitudes… Então por mais que a maioria absoluta seja contra a violência e combata a mesma, sempre vai ter e por menor que seja, sempre vai chocar, ainda mais num país  despolitizado como o nosso. Pagamos pau pra Europa, mas lá protesto quase sempre tem incêndio de ônibus e carro. Não defendo que aqui tem que ter o mesmo. Mas também não precisa ficar chocado com o fato de colocarem fogo no lixo. É o calor do momento, seja revide da violência da Choque ou a própria adrenalina de saber que pode estar fazendo parte da história.

Só pra ficar claro, não tenho nada contra a polícia. Tenho contra o ‘estado’ que coloca a polícia contra manifestante. Ainda mais da forma que colocou quinta, causando tumulto e revolta popular. O policial está fazendo o trabalho dele, além de já ter sofrido previamente uma lavagem cerebral pela qual só os mais fortes resistem. A PM é feita pra defender o Estado/Sistema, o bandido comum prejudica o estado ao trazer insegurança, entre o bandido e o trabalhador a PM vai contra o bandido, mas quando esse trabalhador resolve gritar palavras que agridem o estado ele vira o alvo, pois está prejudicando o estado.

Não dá pra saber como vai ser daqui pra frente, mas se voltar a ter violência por parte da polícia manterei minha opinião de ‘não ódio’ a polícia. Pois a segurança no Brasil é precária como todo serviço público é, se está ruim com a polícia imagina sem. Ok, confesso que da Choque eu já não penso a mesma coisa…

E só pra que a violência que houve não ser esquecida termino com mais vídeos.


Read Full Post »