Feeds:
Posts
Comentários

Ontem eu vi o vídeo posto no lugar do Tubby, pra ler a mensagem tem que habilitar a legenda em coreano:

Também saiu o relato do que seria a ideia, eu tenho algumas dúvidas, mas já que a bandeira da paz foi erguida, vamos fingir que acreditamos…. Link da postagem de um dos envolvidos link da explicação do Cid do Não Salvo.

Fiquei muito emocionada e feliz ao ver o vídeo e acreditar que ainda tem gente que luta pelo respeito mútuo. Na hora que eu vi o vídeo chorei de emoção, depois entrei na page do app, pedi desculpas por ter xingado os caras. Fiquei feliz, feliz mesmo. Mas ainda tem muita coisa pra ser falada…

“Você se expôs ao clicar pra descadastrar” – Sim me expus e falei pra várias amigas fazerem isso. No total foram 150 mil ‘tolas’. Foram tolas ou foram mulheres que estão cansadas de ouvir na rua coisas como “sua bucetuda te chupo todinha”. Foram 150 mil tolas ou foram 150 mil mulheres que estão cheias de terem medo de amigos, colegas de trabalho, parentes e conhecidos pois se elas forem estupradas por um deles sempre vai ter um filho da puta pra duvidar que foi estupro, afinal pro brasileiro estupro só existe quando o cara é feio, pobre e te abordou armado na rua, mesmo assim você ainda vai ser julgada por estar andando sozinha na rua e por estar usando uma roupa provocante. São 150 mil mulheres tolas ou 150 mil mulheres que querem gritar pro mundo:

QUERO TREPAR SEM SER JULGADA POR ISSO!!!! O CORPO É MEU E VOCÊ NÃO PODE ME PROIBIR DE QUERER SENTIR PRAZER E SER FELIZ!!!!

“Foi um tapa na cara das feministas” Oi? Porque tapa na cara? Os que pensam assim me respondam, se 23 mil homens foram lá curtir a page em questão de dias, isso não representa que é sim possível fazer uma site escroto desse? Se existe Testosterona e Orgulho de ser Hétero porque duvidar da possibilidade de um site que chama mulher de piranha por ser boa de cama? Na cara da imprensa foi sim um tapa muito bem dado, mas do feminismo? Infelizmente não duvidamos de mais nada, vivemos num país onde uma banda comete um estupro coletivo, onde vídeos íntimos são divulgados, onde é preciso ter uma lei sexista pra tentar diminuir o número de mortes por ex e atuais companheiros e mesmo assim sempre vai ter um babaca apontando o dedo e falando pra mulher “a culpa foi sua”.

Muitos podem falar “Feministas abriram um processo atoa”. Atoa? Por mais que algumas pessoas afirmassem que seria impossível abrir um app tão rápido, vai saber se os caras não tinham algo parecido? E outra com a imprensa sem questionar isso como eu que sou leiga em TI posso questionar? Melhor prevenir do que remediar. Pois ser taxada de puta e piranha acaba com a auto estima e sexualidade de muitas mulheres. Falo por experiência própria, passei minha adolescência sendo chamada de puta mesmo enquanto ainda era virgem. Fui humilhada e chorei, chorei muito por conta disso e demorei muitos anos pra conseguir ter um orgasmo, parte disso foi por não conhecer meu corpo, mas parte foi por me sentir culpada, foi por ter medo de ser novamente humilhada por ter prazer no sexo. Alias, mesmo com 37 anos e só saindo com caras da minha idade vira e mexe ouço coisas do tipo. É preciso ser muito macha pra ser mulher e bem resolvida, mas muitas noites eu choro escondida. Eu nem devia estar expondo um relato tão pessoal assim aqui e sei que até amigos meus vão ficar chocado com isso, mas se você acha que chamar uma mulher de vagabunda ou piranha não faz mal algum eu te provo que você está errado.

“Impediram um aplicativo que nem existia” – Você acha isso ruim? Eu acho ótimo!!! Serviu pra mostrar que quando se luta por algo é possível conquistar. Muitos manés falaram ‘a justiça brasileira não pode fazer nada, o site é gringo’. Vão estudar seus manés!!!! Sim a justiça brasileira não pode retirar do ar um site que não está hospedado no Brasil ou em país com ligação com o Brasil, mas se a PF descobrir ou quem abrir o processo provar quem é o responsável pelo site, o site pode até ficar no ar, mas você vai responder o processo do mesmo jeito.

“Feministas lutaram pra impedir o Tubby, mas não pra derrubar o Lulu.” essa vou dividir em 2 partes:

1º Brasileiro não cansa de reclamar? Passei anos da minha vida ouvindo “brasileiro não protesta por nada, por isso o país é essa merda.” Daí vem uma onda de protesto e nego reclama que causa trânsito, que é baderna, que é coisa de quem não tem o que fazer…
Ouço direto “essas feministas malucas estão protestando contra o comercial de cerveja, vão lavar louça”, “essas feministas malucas estão protestando contra o coitado do Rafinha Bastos só porque ele fez uma piada sobre mulher feia ser estuprada, são umas mal comidas”, “feminismo não trouxe nada de bom para as mulheres” (essa é rir pra não chorar)

PUTA QUE PARIU!!! Brasileiro parece se orgulhar de ser burro e hipócrita!!!! Nego tá falando que feministas não lutaram contra o Lulu, mas se elas fizessem isso iam ser taxadas de neuróticas, mal comidas, desocupadas e outras mil piadinhas machistas…

Fora que o povo que gosta de falar do que não sabe, nego não conhece nem a história do próprio país, quanto mais do mundo e vem querer falar sobre feminismo…

2º e mais importante. O que impede que um grupo de homens se reúnam e abram um processo coletivo contra o Lulu pedindo a retirada do mesmo? O feminismo luta sim pela igualdade, mas é tanta coisa que tem que combater, porque tem que olhar pra tudo? Se 23 mil homens foram lá curtir, comentar, dar risada sobre a possibilidade de falar o que uma mina faz na cama, porque eles não pegam essa energia e canalizam para uma luta ao invés de uma vingança que vai atacar pessoas que nada tem haver com o assunto? É tão difícil assim entender esse pensamento? Será que estou falando algo muito absurdo? Nem precisa serem os 23 mil, mas sei lá pega esse mote e foca pra outra coisa. Quem sabe não nasceria daí uma ong ou uma ideia produtiva. Algo que busque ver o lado dos homens em questões sociais. Coisas como lutar pelo fim da obrigatoriedade do serviço militar, por exemplo.

“Tem feminista que apoia o Lulu” – Olha se você não me conhece não sabe, soy darks, digo gótica. Tenho 20 anos de cena e vira e mexe trombo com muleque de 15 anos querendo discutir comigo que Evanescence é gótico. Então antes de falar ‘feministas fizeram falaram isso ou aquilo’ veja se a pessoa é realmente feminista. Mesmo buscando a igualdade o foco do feminismo é sim a mulher, mas se a pessoa tiver uma postura de ódio contra homem desconfie. E mesmo que a pessoa realmente seja feminista, será que ela representa um todo? Eu não apoiei o Lulu é já avisei vários amigos pra retirarem o perfil deles. Então não me venha com essa de ‘feministas apoiaram o Lulu’. Vi diversas feministas se colocando contra o Lulu (mesmo porque ele é machista caso você não tenha notado) Algumas falaram: “bem feito agora vocês podem saber um pouco como nos sentimos”, mas isso não significa que a pessoa apoie o app.

“A justiça foi mais rápida com o Tubby do que com o Lulu” – até onde eu saiba não tem nenhum processo coletivo contra o Lulu se baseando na Maria da Penha (preciso confirmar, mas creio que dá pra usar Maria da Penha contra o Lulu) e sim 1 processo individual por danos morais pedindo indenização. Então novamente, se os caras que estão revoltados contra o Lulu se juntarem e pagarem um advogado eles conseguem derrubar aquela merda. O simples fato de entrar com processo coletivo tem mais representatividade que entrar com processos individuais. Só que as pessoas preferem atacar o lado mais fraco do que enfrentar os verdadeiros culpados.

“Foi patético lutar contra algo que nem existia” – Quer me chamar de patética, neurótica ou afim? Foda-se! Prefiro ser chamada de patética a ter que ficar de braços cruzados vendo várias mulheres sendo humilhadas sem poder fazer nada por elas. E além disso o app pode ter sido uma trollada, mas as ideias postas na página do facebook eram bem reais, vindas de caras que sequer estavam protegidos pelo anonimato. E eu só não volto lá e dou trocentos prints, pois ler o que li ali tudo de novo vai me fazer muito mal.

Não tinha como adivinhar que o Tubby era mentira será que era memso? (ok dúvidas, fiquem quietas…) na dúvida eu acho que valeu a pena cada segundo que perdi combatendo o Tubby, mesmo que eu tenha perdido tempo, ficado nervosa e até chorado de ver o quanto escroto é o ser humano. A dificuldade do brasileiro tem em pensar por conta própria o impede de ver coisas simples. A luta não é contra o Lulu e ou o Tubby e sim contra esse pensamento escroto.

Mulheres tem o direito de gostarem de sexo e não devem ser chamadas de piranha por causa disso, nem mesmo por brincadeira. Dá mesma forma que homem nenhum tem a obrigação de sustentar a casa sozinho ou de ser podado de se emocionar. Chamar um cara sensível de bicha é algo machista (e homofóbico também).

O Lulu é literalmente o machismo praticado pelas mulheres. A objetificação de si própria, lá você é chamada de interesseira e um monte de guria ainda acha que tá abafando. Coitadas…. estão sendo chamadas de burras e sequer percebem…

Eu quero um mundo onde Lulu’s e Tubby sejam simplesmente ignorados pelas pessoas. Que eles sequer sejam pensados em fazer e se algum babaca e/ou aproveitador fizer que não tenha nenhuma repercussão, nem na internet nem na tv, não vejo tv, mas ouvi falar que o Lulu apareceu no jornal da Globo, da Globo? PQP para o mundo que eu quero descer!!!

E em respostas a todos babacas que eu tive a tolice de discutir com eles na page do Tubby. EU NÃO DEVO NADA SOBRE A MINHA SEXUALIDADE A NINGUÉM, MAS NEM POR ISSO VOU PERMITIR QUE ALGUÉM FALE SOBRE ELA SEM A MINHA PERMISSÃO. A minha sexualidade é minha, como a sua é sua. O que eu gosto, o que eu faço, o que eu deixo de fazer só interessa a mim e as pessoas que estejam comigo. Se eu expor algo no meu face, no meu ask ou num blog isso é problema meu e principalmente escolha minha. Não importa se eu me expor pra aparecer ou pra praticar o feminismo (tentando fazer as pessoas olharem com mais naturalidade o fato de uma mulher gostar de sexo). Recentemente tive problemas com meu ask e fui lá e retirei metade das coisas do ar. MINHA VIDA, MINHAS ESCOLHAS.

“Mas você poderia apenas retirar o seu perfil do Tubby”. Sim, eu sei disso, mas eu também escolhi não olhar apenas para meu rabo nessa vida e gosto de lutar contra coisas que eu acho absurdas. Infelizmente minha vida não permite fazer parte de nenhum grupo feminista que faça algo fora da internet. Nem feminista, nem proteção animal, nem nada… eu só posso lutar aqui da minha casa… mas é o que eu posso é o que farei. Escrevi um longo texto contra o Lulu, escrevi um longo texto contra o Tubby e nego que pega um ou outro comentário que leu meu no facebook se acha no direito de definir um conceito sobre minha pessoa. Quer que eu diga onde eu quero que você enfie sua opinião?

E só pra finalizar. Se eu gosto de chupar rola ou dar de 4 não significa que eu vá fazer isso com você. Seu babaca! Toda vez que pensar em ofender uma mulher lembre-se que sua mãe precisou trepar com seu pai pra que você pudesse existir. Você vai deixar de ama-la caso ela tenha feito isso com prazer? (isso não serve se você for fruto de inseminação artificial ou estupro (estupro não é sexo).

Update deixado propositalmente para no final: Estou aqui tentando fingir que acredito que o Tubby foi uma lição de moral desde o início, mas não sou boa em fingir. Ainda mais vendo um bando de babacas agindo feito o personagem do Simpson…

simpsons_nelson_haha

Ha Ha teu cu!!!!! Nego ainda fala que é neurose, teoria da conspiração. Afinal a pessoa é uma AMEBA e tem dificuldade em pensar, então pra ela o pensar deixa de ser uma qualidade e passa a ser um defeito. Você acredita em palavras? Eu acredito em atos! A mensagem do vídeo é linda e eu chorei e por algumas horas acreditei. Daí eu fiz um recapitula de como ocorreu o Tubby:

O Tubby surgiu com a mensagem “Você já ficou curioso pra saber se aquela sua amiga do facebook é uma piranha na cama?” Ok logo eles mudaram isso, mas era essa a mensagem original. Depois de uns dias eles pagaram um servidor melhor (afirmam que pagaram caro) e criaram um sistema de cadastro e descadastro onde ao se descadastrar as vezes aparecia a mensagem “Fulana arregou” e segundo eles foram 150 mil ‘arregonas’ em um período curto (máximo 48h) isso sem o site estar no ar, imagina quando estivesse. Junto a isso um coletivo feminista entrou na justiça e o juiz determinou multa de 10 mil por dia. Daí eles adiaram o suposto lançamento (ueh se era uma brincadeira não deviam estar com o vídeo pronto?) e eu fiz questão de entrar na page e falar “se o site entrar no ar eu abro processo por conta do piranha e do arregona independente de ter me descadastrado e ainda faço um tutorial ensinando outras mulheres a abrirem o processo” e sim os responsáveis leram e responderam.

Sério mesmo que você acredita que um grupo de moleques de 20 anos resolveram dar uma lição de moral na sociedade e fizeram isso agindo feito babacas escrotos, chamando mulher de piranha e arregona? Eles investiram tempo e dinheiro pra fazer um descadastro de um site que era uma lição de moral e/ou uma piada? Eles já tinham um processo antes mesmo de entrar no ar, se entrasse iam receber uma enxurrada de processos sendo que quase não ia ter mulher que ficasse no site pra ser avaliada…

Isso vindo de um grupo de garotos de 20 anos. Eles ainda se associam ao Não Salvo. Ao NÃO SALVO!!!! Um site recheado de piada machista. Sério mesmo que vocês acreditam na palavra de uma porção de garotos sendo que a atitude deles demonstra o contrário? Sério que você acredita que os caras gastaram grana pra começar o sistema de cadastro de um site que não era pra existir? QUAL O SEU PROBLEMA? VOCÊ ACHA QUE PENSAR DOÍ?

Ok, a mensagem que eles puseram é linda, por ela eu até fingiria que acredito, mas ver um monte de babacas falando que ‘isso é a internet’ e outras tolices me dá nos nervos até pelo simples fato de vai ser burro assim no inferno!!!

UPDATE por enquanto não é mais preciso sair do Tubby o site está proibido de entrar no ar, a não ser que tenham 10 mil por dia pra pagar de multa. A conquista se deu através de um processo movido por Frente de Mulheres das Brigadas Populares (facebook), Margarida Alves (facebook), Movimento Graal no Brasil, Marcha Mundial das Mulheres, Movimento Mulheres em Luta, Marcha das Vadias e Coletivo Mineiro Popular Anarquista (Compa), leia detalhes aqui e aqui.

Essa é uma grande diferença entre homens e mulheres (infelizmente), enquanto pra combater o Lulu alguns buscaram a vingança através do Tubby, algumas mulheres foram atrás de justiça, sendo se descadastrando previamente, alertando amigas e descendo a lenha. Se esses homens pegassem essa energia e aplicassem pra se unir e pedir a retirada do Lulu (que está recebendo alguns processos inclusive de uma mulher que acusa de pedofilia por conta do seu filho) eles conquistariam seus direitos. Justiça se conquista buscando o que é justo e não atacando todo mundo.

Ontem eu compartilhei como sair do Tubby, mas tem gente falando que não é seguro a forma que eles mandaram e ensinando uma forma segura. O primeiro link que recebi era em inglês do noplaceforhate. mas numa busca rápida achei já em português e vou reproduzir aqui. Grata a EstadãoTech Tudo e outros sites (não sei qual foi o primeiro, sorry.)

TubbySair

  Sobre o Tubby farei um resumo, pois pode ter gente que não sabe. Uma pessoa resolveu ganhar dinheiro fácil e levar as ‘conversas de bar’ para o mundo virtual. Fez um aplicativo onde mulheres podem falar e dar nota para os caras. Sou totalmente contra, se quiser ler a respeito o texto está aqui (mas preciso dar um update). Engraçado que conversas de bar nem sempre terminam no bar e quem fala não tem a proteção do anonimato… mas enfim… Daí uns gênios tiveram a ideia de fazer uma versão masculina.

Logo de cara quando alguém postava o link no facebook aparecia: tubby

Fofo néh? Depois eles mudaram pra ‘boa de cama’, mas o piranha ficou entalado, vai ver porque eu não mereço a tag #engoletudo

tubby_app

Os dois app (se é que pode chamar isso assim) funcionam associados ao facebook, mas diferente do Candy Crush e outras coisas que você dá autorização prévia nesses você tem que pedir pra sair. Afinal nada mais justo que você ter que pedir pra não ser taxada de piranha néh (até agora estou me perguntando que tipo de pessoa acha que uma mulher que é boa de cama é piranha…. será que eles acham que a mãe deles é virgem?). Mas além do Tubby ser muito mais baixo nível que o Lulu (que é fofo entre aspas, é fofo comparando ao Tubby) a forma de sair do Tubby é muito mais invasiva e segundo alguns pode ser uma forma de pegar dados das pessoas. Leia matéria da Folha. Eles afirmam que não é verdade link da postagem, que é seguro fazer no sistema deles link deles ensinando a ‘sair’. Mas seguro ou não você sai sendo chamado de arregona, afinal chamar de piranha não tinha sido o suficiente… arregou Por conta desse piranha e arregona, fora as suspeitas deles estarem coletando dados, eu vou abrir processo. Não porque eu seja neurótica, mas porque as pessoas tem que aprender a ter respeito pelos outros, se a mãe não ensinou a vida ensina. Espero sinceramente que os pais que mal criaram essas 3 criaturas, segundo a Tech Tudo são 3 guris na faixa de 21 anos. Os oriente e os convença a não abrir essa site. Mas se eles fizerem vamos conversar diante de um juiz, só espero que eles possam pagar os processos. Pois duvido que serei a única. Mesmo porque faço questão de fazer o tutorial “Como Processar o Tubby”

Sabe quando você sabe de algo e você diz ‘pra que?’ Então é meio isso que sinto pelo Lulu. Mas diante de tantas coisas que li a respeito sinto que preciso falar sobre ele. Se eu fosse resumir em uma frase sobre o Lulu ela seria:
O Lulu é uma grande micareta virtual, cheia de pessoas bonitas e fúteis, mas nessa festa elas (as meninas) querem arrumar um namorado.

Atenção esse post vai ser extenso, então coloquei destaques, sinta-se a vontade pra ler apenas as partes que lhe interessem😉
Ah nenhum amigo foi avaliado durante a execução desse texto. Há a opção de fechar sem salvar a avaliação. E para os meninos que quiserem retirar o perfil do Lulu (se você tem facebook você tem perfil, mesmo que não tenha nenhuma avaliação) é só acessar http://company.onlulu.com/deactivate só não sei se funciona de verdade:/

O QUE É O LULU – É um aplicativo que foi feito para celulares smartphone, mas não me pergunte desde quando e porque,  agora você pode acessar do seu computador mesmo, sem ter que instalar nada (parece que no celular tem). Basta estar com o facebook logado e entrar no https://onlulu.com/

É como um site de relacionamento, só que numa versão para as mulheres e outra para os homens (sim eu entrei pelo meu perfil e por de um amigo). Na versão feminina você pode acessar perfis de pessoas que estão no seu facebook e de pessoas que não estão. Porém eu não consegui achar, pela busca, nenhuma das pessoas que tentei achar que não estavam entre meus amigos. Ou seja ele vai sempre privilegiar seus amigos, mas se você tiver paciência pode achar o perfil de alguém que conhece, mas não está entre seus amigos.

lulu

Uma vez dentro do perfil da pessoa você responde um questionário (meio duvidoso) sobre:

Declarar sua relação com a pessoa (amiga, ex, atual, ta afim, parente) essa parte é obrigatória e aparece depois quantas ex, amigas, parentes responderam. Daí vem o questionário em si
1 Humor
2 Educação
3 Ambição
4 Aparência
5 Compromisso

Baseados nesses 5 quesitos é criada uma nota. Você não precisa responder os 5, pode responder apenas 1, mas tem que dar ao menos 1 resposta e 1  hashtag boa e 1 ruim, mas as hashtag não contam pontos e tem opção nada a declarar, nada de ruim e nada de bom.

Já na versão masculina pode-se apenas ver o próprio perfil e acrescentar coisas, mas dá pra saber que foi você e tem uns questionários bestas desses que a gente responde na 5ª série para incrementar um pouco mais seu perfil e assim conquistar ‘as gatas’.

homem1 home2

homem3

O LULU NÃO É FEMINISTA – NÃO, NÃO E NÃO!!!! Quem afirmar o contrário não acessou o aplicativo e/ou não sabe o que é feminismo. Feminismo não é o contrario de machismo. Feminismo prega a igualdade entre os gêneros, não o revanchismo ou a superioridade. E na realidade o Lulu nem é uma revanche ou femismo (conceito de que a mulher é superior). Na verdade ele é machista ao colocar a mulher num papel de extrema futilidade.  A maioria das hashtags são tolas, sequer chegam a ser realmente ofensivas, ou vai dizer que #usarider e #curteromerobrito é algo realmente ofensivo? E só pra ficar claro, não tem opções como ‘pau pequeno’, ‘ejaculação precoce’ nem a velha queixa ‘dorme depois da transa’. É tudo muito cor de rosa. Mesmo coisas sérias que remetem a agressões e violência são poucas hashtags, a maioria em inglês de gíria (o que deixa em dúvida se é realmente sobre agressão) e questões menos grave porém sérias como se usa camisinha sequer aparecem O mais próximo disso é “procreated then evaporated” (procriou depois evaporou).

O Lulu seria um aplicativo feminista se o objetivo da troca de informação fosse a proteção. Tipo se fosse uma lista de caras violentos, que já praticaram revenge porn, ameaças e afins. E mesmo se fosse sobre isso o fato de serem pessoas fazendo afirmações de formas anônimas tornaria a denúncia questionável. Enfim se você acha o Lulu feminista você tem que rever seus conceitos sobre feminismo.

MAS A FUNDADORA É MULHER – O fato dela ser uma mulher e ter 32 anos só não me causa uma tremenda vergonha alheia por eu no fundo saber que ela não fez o aplicativo afim de ajudar a humanidade ou as mulheres como ela afirma. Ela com certeza está pensando na própria conta bancária. Então nem vou aprofundar minha opinião sobre a mesma, pois eu perco tanto meu tempo tentando ajudar as pessoas que tô aqui lascada, então vai que ela me processa….

O LULU IGUALA AS MULHERES, TRATA OS HOMENS COMO OBJETOS – Pelamor! Menos mimimi nessa vida! Bem menos! Achar o Lulu um absurdo eu também acho, concordo e assino embaixo. Achar que isso chegue perto do que as mulheres passam repetidas e infinitas vezes é aquilo que tantos gostam de acusar as feministas VITIMISMO!!! Além do aplicativo em si ser bastante tolo trazendo coisas em maioria inofensivas você pode se descadastrar com alguns cliques. Se você considera o Lulu uma vingança e/ou o fim do mundo clique aqui e resolva seus problemas. Agora, repetindo o que disse num debate: Pronto resolvi seu problema, agora faz o mesmo por mim e me diz como eu faço pra não ouvir mais ‘cantadas’ nas ruas.

O Lulu não trás nada de bom ou benéfico, mas tem muito cara achando que ele chega perto do que passamos. Certo champz! Afinal falar que você é viciado em pornô tem o mesmo peso de ela é uma piranha rodada.

Mesmo assim se você se sentir ofendido nada impede que você processe o site. O primeiro já saiu, quem sabe se vários rapazes fizerem isso o ministério público tem o bom senso de pedir a retirada do site ou pelo menos que o homem precise autorizar pra ter o perfil exposto, já que o facebook alega que o app não infringe as regras. E antes que falem ‘mas isso é censura’, tudo tem limite, inclusive a liberdade, a sua acaba quando invade o espaço do outro.

Li um texto bem mimizeiro quem quiser um exemplo de exagero masculino perante o Lulu leia O aplicativo Lulu finalmente iguala as mulheres aos homens — no que eles têm de pior

O LULU REPRODUZ O QUE ACONTECE NA VIDA REAL – Bem no mundo que eu vivo existe algo chamado fofoca, a fofoca é algo praticado por muitos, mas qual o real valor da fofoca? Quer curte ser chamado de fofoqueiro?  Você acredita em algo quando a frase começa com ‘me disseram’? Quantas vezes você foi intimando uma por uma das pessoas até descobrir quem inventou ou pelo menos intimidar quem estivesse espalhando para que parasse?

Então é o que acontece uma vírgula! Eu não sei você, mas eu acredito em algo dependendo de quem contou. A internet por si só já propicia o anonimato através de fakes, mas criar um fake da trabalho. Ter uma ferramenta que possa falar de alguém de forma anônima sendo que a pessoa não pode ter o controle sobre o que é dito é algo na minha concepção absurdo e em nada tem haver com o mundo real.

Ok as mulheres falam e muito sobre seus parceiros (sim eu conto pra minhas amigas coisas muito piores do que eu li no Lulu), mas falamos por confiar nas nossas amigas, por estarmos ansiosas, por desabafo e as vezes pra causar inveja ou recalque. Falar na vida real é algo questionável. Eu mesma já tive N brigas por conta disso, então reproduzir um comportamento questionável não o torna menos questionável.

O LULU TROUXE UM DEBATE SOBRE A OBJETIFICAÇÃO DA MULHER – Sim isso é fato, mas será que ele vai trazer um retorno positivo? Não é bem isso que eu tenho visto…. Gostaria muito que o homem comum ao se ver sendo tratado como objeto pensasse “Nossa então é assim que as mulheres se sentem? Não vou fazer mais isso.”, mas até agora só vi homens que já tinham uma sensibilidade sobre o assunto vendo o assunto dessa forma, os demais partiram pra revolta e continuam com os mesmos discursos que antes, só que agora com uma carga de querer uma revanche.

E até um grupo formado por 2 guris e (pasmem) uma guria está prometendo vir com essa revanche. Se a coisa for do nível que eles estão prometendo vai ser tipo confronto de paus e pedras versus metralhadoras e bombas.

tubby

Depois os caras perceberam a merda e trocaram o piranha por boa de cama. A page deles trás as tags #engoletudo e #curtetapas super comparável ao Lulu, SQN!!!!! A página deles no facebook então, oh! Uma bosta! Pior é ver matéria na Exame e na Tech Tudo e as referidas mídias falam sobre o número de curtidas, sobre a vingança, mas sequer citam a diferença do tamanho da resposta. Valeu editora Abril!

E assim na boa, não que eu concorde com o Lulu, mas precisa de revanche? Coisas como o Testosterona e Orgulho Hetero não são o bastante? Hoje li um lixo onde apresentava como calcular a ‘kilometragem’ da mulher. A coisa mais fofa!

ANALISANDO O LULU – Me senti numa balada cheia de pessoas fúteis com conceitos de valores duvidosos. Tudo ali é uma futilidade condensada. Os quesitos analisado por si só não são ruins. Quem não quer um cara divertido e educado? Mas a forma como são analisados é nível teste da Capricho pra baixo.

As perguntas mudam de forma aleatória, mas o valor da nota se mantem pela colocação tipo a 1ª resposta vale 4 a última vale 10.

Algumas opções de resposta são tão “fofas” que realmente me sinto lendo a capricho (tipo me sinto num planeta de gente retardada). Exemplos de ‘fofura’:
Lulu13aparencia2 Lulu05 Aparencia LuluAvFofo01

Já algumas alternativas são altamente escrotas com valores bastante pequeno burguês
Lulu09 humor 2  Lulu04 Ambicao roupa LuluAvEsc04 LuluAvEsc01 LuluAvEsc02 LuluAvEsc03    Lulu-11-ambicao-2 Lulu12-relacionamento2   

Teve algumas nonsense, algumas discutíveis e algumas óbvias, mas não quis printar todas elas.

Já a parte das hashtags é uma coisa ‘rir pra não chorar’, até agora me pergunto que cazzo seria ‘toca vuvuzela’. Pouca coisa se aproveita a maioria parece uma piada…. E eu testei e as tags não influenciam nas notas…. enfim segue a lista completa clique na imagem para ver ampliada:

Tags Positivas Tags Negativas

Fora as frases ‘motivacionais’ do tipo ‘fulano não tem nenhuma avaliação ajude ele’ e imagens de gente bonita, alegre, feliz e retardada, que pra mim, uma jovem senhora dark, é bastante incomoda. A cereja do bolo são imagens de gurias chorando quando um perfil não é encontrado ou dá algum tilt no programa.

lulu15 lulusair

É tudo TÃO RETARDADO que quando você pede pra sair vem a seguinte mensagem:

“Só para entender: nós estamos oferecendo-lhe acesso a mais de um milhão de meninas – meninas que estão aqui especificamente para olhar para você, falar sobre você, e dar-lhe a atenção – e você não está interessado. Você tem coisas melhores para fazer. Você preferiria estar em outro lugar. Nós obtê-lo. Realmente. Isso não parece louco em tudo.” (sim eu joguei no tradutor)

Se o bom senso fosse lugar comum eu poderia apenas publicar essa frase, mas se o bom senso fosse lugar comum o Lulu nunca seria lançado, se fosse ninguém usaria, se alguém usasse seriam tão poucas pessoas e tão sem relevância que ninguém se importaria….

Humanos…. Felizmente há ainda bom senso na internet. Sei que esse texto foi bastante extenso, mas mesmo assim quero botar alguns links de coisas que li e curti sobre o Lulu

Lulu e a coceira que a etiqueta causa
Lulu: O App Que Veio Provar Que Objetificação Não É Legal (Não Importa O Gênero)
O Whatsapp virou um armazém de pornografia involuntária
(ok não é sobre o Lulu, mas tá valendo)

Porque doí tanto?

Young Woman with Umbrella in SunshineHoje foi mais um dia na minha luta em busca de tratamento/terapia. Na verdade a minha busca não é busca-avançada justamente porque um dos aspectos do meu problema é o não saber lidar com a rejeição. Então muitas vezes eu evito tentar pra não ter que passar pela decepção de não conseguir.

No caso da busca por uma solução cada alternativa é uma esperança e cada esperança que morre parece que é um pedaço da minha sanidade/saúde/vida que se vai. As alternativas que conheço são: posto saúde, faculdades, entidades filantrópicas, amigos, caps, fazer uma ‘auto-terapia’, tudo isso eu já tentei, agora me resta o HC em um dos seus trocentos ambulatórios psiquiátricos achar um que se encaixe em mim e daí rezar pra conseguir uma vaga. Consegui um nome e uma data pra a partir daí tentar todo o processo.

Se não der certo é torcer para ter lembrado de deixar lenço de papel a mão e para conseguir segurar pra desabar num local menos fechado e exposto que o HC. Depois re-hidratar, juntar os cacos e  re-tentar todas as alternativas outra vez, até alguma dar certo ou acabar motivo pra buscar ajuda. Pagar? Sabe quando você se encontra num ciclo vicioso? Preciso melhorar pra poder trabalhar, preciso trabalhar pra poder pagar, pra poder melhorar…. Então vamos na luta descartando uma

possibilidade irreal…. Vamos a luta, mesmo que seja a passos lentos.

Mas porque doí tanto? Muitas pessoas devem se perguntar. A resposta não é simples. Parte é um desiquilíbrio da química cerebral, parte vem da minha história de vida que não é das mais bacanas (mesmo não sendo das mais terríveis) e parte vem do mundo. Do mundo? É do mundo!

– Ontem do nada uma antiga e distante amiga me bloqueou no twitter, não sei o que eu fiz pra ela, não sei se a ofendi, não sei se ela foi falsa na última vez que me viu, não sei se ela por ser ‘famosa’ no twitter se sentiu incomodada com uma postura de amiga e não de fã. Eu não sei se foi loucura ou se foi maldade. E essa dúvida me corroí.

– Hoje no HC estava caminhando em direção ao prédio de psiquiatria, mas não conhecia o lugar e perguntei pra um funcionário que vinha daquela direção, ele disse que eu estava na quadra errada, por sorte desconfiei e pedi informação pra outra pessoa. Eu não sei se ele é muito burro, se ele confundiu os lugares ou se me sacaneou de propósito (e sem propósito, afinal o que ele ganha com isso?). E essa dúvida me corroí.

– Acabo de ouvir minha mãe chorar, ela é uma pessoa muito limitada e não consegue dialogar. Por conta dessa falta de dialogo o que é complicado vira uma novela e passo por isso todos os dias, já que me enfiei num buraco, perdi tudo e tive que voltar a morar com ela. Eu não consigo lidar com a burrice dela, não sei o que fazer pra contornar isso, pra fazer com que ela me esculte ou pelo menos fale as coisas sem gritar, ofender, machucar e simplesmente ‘resolver’ tudo da pior maneira possível. E essa dúvida me corroí.

– Infelizmente minha mãe não é a única pessoa burra com quem convivo. Tenho várias pessoas ‘limitadas’ perto de mim, direta ou indiretamente. E a burrice dessas pessoas torna a minha vida mais difícil, seja o atendente de telemarketing/recepcionista que demora meia hora pra entender o que eu quero que ele faça ou o idiota que ‘acordou’, pintou a cara e entoou “Sou brasileiro com muito orgulho”, nas ruas um mês atrás, mas que não entende a diferença entre  posições políticas e partidos políticos… Eu não entendo porque as pessoas tem tanta dificuldade/preguiça/falta de capacidade em pensar. E essa dúvida me corroí.

E tem a maldade. “Eu vejo gente má o tempo todo”. A maldade é tanta no mundo que ela grita o tempo todo em meus ouvidos e por mais que eu tente abafar os gritos da maldade eles são mais alto…

A maldade está em cada pessoa que passou pela minha vida e fez questão de me machucar. Está no meu pai, até sua raiz de cabelo. Está em todos os babacas pelos quais eu tenho me sujeitado a ficar em troca de migalhas. Está nos fdps pelos quais eu me dediquei e que nada me deram em troca, nem amor (amigos, namorados, maridos). Está em cada pessoa que eu estendi a mão e recebi a ingratidão. Está em cada hipócrita que nunca foi nada meu, que não sabe quase nada sobre mim mas se sente no direito de me julgar. Está em cada fdp pra quem eu nunca fiz nada de mal, mas ele regozija diante das minhas dores.

A maldade está na sociedade. Está no casamento falido, no carro do ano daqueles que se preocupa mais com status e aparências do que com sentimentos. Está no abandono e maus tratos aos animais. Está nas filas dos hospitais. Está no caos do trânsito. Está no cinza do céu de São paulo. Está no rosto da criança que pede dinheiro no semáforo. Está num pai que atira sua filha de um prédio classe média por capricho da sua nova esposa e no que atira seu filho contra parede da favela apenas porque o choro o incomodou. Está nos dois lados da arma daqueles que transformam vidas em estatísticas. Está em cada segundo de cada ato de terror de um estuprador e de um pedófilo. Está no estado que não é capaz de nos proteger desses lixos. Está na TV que se preocupa mais com seu ibope do que se está pondo vidas em risco com suas coberturas ao vivo e que passa cenas de mortes violentas como se fosse algo natural. Está até em pequenos atos do cidadão comum que acha que jogar papel no chão, ocupar vaga reservada pra cadeirante, ser falso, ser grosseiro, ser fofoqueiro…. são coisas que não vão prejudicar ninguém.

A MALDADE ESTÁ NO ESTADO. NAS IGREJAS. NA MÍDIA. NA MORAL NOS BONS COSTUMES. NO PRECONCEITO. NO LIVRE COMERCIO. NO MERCADO FINANCEIRO. NAS PRISÕES. ESTÁ EM MIM E ESTÁ EM VOCÊ!

O medo, a dor, a mágoa e o rancor ocupam um espaço muito grande dentro de mim. É tão grande que parece que é maior e mais forte do que eu mesma. Além de todas as dúvidas e dores que carrego dentro de mim, pensar no sofrimento que toda essa maldade causa no mundo: em todas as crianças, em todas as pessoas, em todos animais, em todas as árvores, em tudo que tem vida e até mesmo nas pedras sem vida mas que fazem parte desse mundo que deveria ser bonito… São tantas guerras, tantas injustiças, tanto egoismo, tanto lixo… É tanta angústia que as vezes parece que eu sinto o sangue daqueles que sofrem, como se todas as ruas estivessem pintadas de vermelho e o cheiro do seu medo e da sua dor se misturasse no ar,  e como se nada, nada pudesse aplacar essa dor, pois por mais que eu lute eu não vou conseguir diminuir a dor no mundo, já que não consigo nem mesmo diminuir minha própria dor…

Então eu me fecho no meu casulo e me cerco da arte uma das poucas coisas que entende essa dor e que ao mesmo tempo alivia.

Pelo menos não agora que tem um monte de gente perdida gritando. Um dia manifestante é baderneiro vagabundo e no outro todo mundo acordou, virou politizado. E você é reacionária por falar pra essas pessoas que não é assim que se faz. Cadê meu rivotril, vou dormir um pouco…

acorda

Não vejo nenhum problema numa pessoa que nunca se importou com política passar a se importar, mesmo que a motivação venha de modismo. O problema é ver o velho ditado ‘pegou o bonde andando e quer sentar na janelinha’. Legal champs que você esteja se preocupando com que acontece com seu país. Mas dá pra parar de gritar feito um retardado pelas ruas?

Pra mudar um país é preciso primeiro mudar a si mesmo:
1º passo – É mudar seus hábitos cotidianos perante os demais membros da sociedade. Não jogar lixo na rua, não furar fila, não estacionar em vaga de idoso, etc. Respeitar e ajudar ao próximo buscando em atitudes cotidianas fazer uma sociedade melhor.
2º passo – Pesquisar/estudar sobre política. O que é esquerda, o que é direita. Real significado de palavras como: reacionário, revolucionário, fascista, comunista, anarquia, laico, apartidário, apolítico, totalitarismo… Quem manda/faz o que: municipal, estadual, federal. Os três poderes (executivo, legislativo e judiciário). etc, etc e etc…. Não há vergonha nenhuma em não saber, vergonha é falar sem saber o que está falando.
3º passo – Criar o seu ideal político e lutar por ele. Isso é se unindo a pessoas que dividem esse ideal (seja de forma total ou parcial) e também votando em candidatos que afirmam seguir esse ideal. O voto é a maior arma de protesto. Aprender a votar é um grande passo para uma mudança.

Mas você acordou com sede de justiça e não quer esperar? Você está com preguiça sem tempo de estudar? Ok então ao menos busque apoiar atos com objetivos claros E RESPEITE O TEMA DA MANIFESTAÇÃO. Manifestações generalizadas não levam a nada. De boa intenção o inferno tá cheio. É melhor fazer 200 manifestações do que 1 manifestação com 200 temas. Não precisa ser um tema único, rola ser alguns (4 ou 5 máximo 10), mas eles tem que ter alguma co-relação. Uma manifestação não pode ser contra a PEC 37, a favor da legalização da maconha, por menos impostos, mais hospitais e bons drinks.

E sem essas de querer você, jovem incauto, que acabou de acordar, sair marcando suas manifestações porque você é brasileiro e ‘whiskas sachê’… Não é porque hoje qualquer Zé Mané pode abrir um evento no facebook e de repente 100 mil pessoas comparecem que isso esteja certo. Isso é perigoso. Não vem com esse papo que o que vale é a intenção. Se morrer alguém você vai ter coragem de olhar nos olhos da família dela e falar “mas o que vale é que ele tinha intenção de mudar o país”? É isso que você vai dizer pra uma mãe que perdeu um filho?

Manifestações tem que serem organizadas por grupos de pessoas com conhecimento e experiência pra lidarem com situações de tumulto, negociar com a polícia, fazer pronunciamento junto a imprensa, negociar a reivindicação com representantes do governo. Pode ser organizada por um partido, sindicato, ong , movimento político/social… Mas ela não pode ser sem pessoas responsáveis pela organização. E essas pessoas tem que saber o que estão fazendo. Antes de sair pra uma manifestação de uma olhada em quem está organizando, quais são os ideais? Tem site? Página oficial no face? Começou ontem ou já tem um tempo? Você até pode organizar uma manifestação, mas no dia que você entender algo sobre política e formar um grupo de pessoas engajadas. Nem precisa ser um cara super culto, mas ao menos tem que saber o que quer. Sem conhecimento ou foco você não passa de uma barata tonta correndo sem rumo.

Update Importante: Você não vai encontrar um único grupo que a favor de todas as coisas em que você acredita e portanto irá lutar por todas elas. EXEMPLO não tem como um grupo a favor do aborto se envolver com um grupo a favor da legalização da maconha. Pois as pessoas tem o direito de ser a favor apenas de uma delas. Então você vai ter que se filiar a vários grupos de acordo com suas convicções. Pare de esperar por um líder, um salvador da pátria. A única instituição que abraça diversas pautas são os partidos políticos, pense nisso antes de sair bradando slogans anti-partidos.

02spprotestoferidosanguerostofborges

Política não é brincadeira. Manifestação não é festa. Já morreram 2 pessoas oficialmente. Uma atropelada por um cidadão furioso e outra supostamente asfixiada pelo gás lacrimogênio (não saiu o laudo, pode ter sido um infarte por conta da situação), detalhe a segunda sequer era manifestante, era uma gari e estava limpando as ruas. Além disso já teve muito vandalismo e saques, não apenas a prédios públicos e bancos, como também a pequenos comércios como bancas de jornal e mercearias, o que leva a falência a maioria dessas lojas. Como ‘o povo’ decidiu pelo apartidarismo, então também tem rolado muita confusão por conta das pessoas que levam bandeiras de partidos. E pasmem disputa de espaço por manifestações diferentes que são marcadas num mesmo local e horário. Fora infiltração de bandidos (tanto nos saques quanto batendo carteiras) e pessoas de extrema direita que geralmente são os que iniciam as depredações.

“Mas o Brasil está passando por uma revolução e eu quero fazer parte disso”. Calma. Respira! Mudanças e revoluções não são exatamente sinônimos de melhorias para o povo. Isso é mais um motivo para as pessoas terem cuidado com o que fazem. O menos pior que pode acontecer é não mudar nada, estilo o que rolou no Fora Collor. O pior já está acontecendo, mas pode acontecer em larga escala, mortes de inocentes e violência generalizada. O mais terrível seria um golpe de estado (militar ou não). Pipocam textos e debates dizendo que um  golpe não rola. Então vamos supor que disso estamos livres. Golpe não rola, mas mortes já teve. Sujar de sangue inocente nossas ruas ‘verde e amarelas’… Vale a pena? É necessário?

Acorda Brasil! Acorda de verdade!! Desperta e abre seus olhos!!!

O Gigante Acordou?

Me desculpe a franqueza, não creio muito nisso não…. Espero de todo coração estar errada, se estiver, engolir essas palavras vai ser um prazer, mas seja minha distopia, distimia ou pragmatismo. Não consigo ver revolução no rumo que as coisas estão tomando.

ImagemTerça (18/06) mesmo depois dos atos de vandalismo no centro, resolvi dar uma volta na Paulista. E o que vi estava mais próximo de uma festa do que de um ato político. Para a minha tristeza os cara pintada voltaram. Ok brasileiro é despolitizado, eu mesma tenho muito a aprender, mas ver por todo lado pessoas fazendo pose pra tirar foto pra facebook, sorrindo, felizes, com seus rostos pintados de verde e amarelo e a bandeira por todos os lados me embrulhou o estômago. E a quantidade de reivindicações incluindo a piada ‘abaixo a corrupção’, me fez ver como a coisa está caminhando pra uma causa perdida.

Sinto como se todo o tempo que gastei nos últimos dias discutindo e explicando sobre os protestos tivesse sido jogado fora. Pois agora até o imbecil do Arnaldo Jabor, estrelas da Globo entre outros reaças estão falando bem dos protestos. Só falta a Veja levantar a bandeira dos 20 centavos.

Ok deu certo, voltaram atrás o valor da tarifa, mas como o MPL sempre frisou que as manifestações eram apenas para a redução do valor e agora como fica? Simples o evento que já estava marcado continua e segundo saiu na imprensa é pra comemorar. Como é que é? Comemorar? Vocês vão parar a Paulista pra comemorar? Não é que eu esteja desmerecendo a vitória, mas eu acho que o Brasil tem muito pra consertar pra comemorarmos tão cedo. Essa comemoração só reforça minha tese de que virou festa.

Vivemos num país onde um cretino aprova a ‘cura gay’ um dia depois do congresso ser invadido. Onde metade das leis são piadas prontas. E onde candidatos que tiveram sua corrupção comprovada continuam no poder. Menos pose, mais atitude! Menos patriotismo mais gritos de luta! Chega de cantar hino nacional, “sou brasileiro com muito orgulho”, pintar a cara de verde e amarelo, carregar a bandeira nas costas… Não é um ato de patriotismo é um ato de protesto. Você está puto da vida e não orgulhoso ou feliz.

E acima de tudo: Aproveite sua própria vontade de mudar o Brasil e comece por mudar a si mesmo. Pense e pesquise! Estude história, política, filosofia, sociologia. Mude suas atitudes diárias de jogar lixo na rua, de parar em fila dupla, de pensar apenas em si mesmo. Porque você vive numa sociedade e se você não se incomoda em ver as pessoas passando fome ou espremidas num ônibus porque você tem seu carro e sua comida, se você acha que a desigualdade social não afeta sua vida repense isso quando tiver um cano apontado na sua cabeça. O simples medo constante em que vivemos é algo que afeta a todos, pois boa parte da violência é reflexo da desigualdade social.

Pra quem for de SP sexta 21/06 tem manifestação contra o projeto de ‘cura’ gay, as 18h da praça Roosevelt. E contra o PEC 37 em SP sábado 22/06 no Masp das 15 as 20h. RJ domingo 23/06 as 16h em Copacabana posto 4. Brasília quarta 26/06 as 14h Praça dos Três Poderes

Espero não ver cartazes de ‘abaixo a corrupção’ e menos ainda Fora Dilma (você sabe quem fica se ela sair?). Como disse antes, leia, pesquise, estude e PENSE!!!!

É lindo ver a Paulista desse jeito:

Imagem

Mas o Collor mandou um beijo!

Desde quinta feira até algumas horas atrás perdi a conta de com quantas pessoas eu discuti tentando fazer a pessoa entender que quem começou a violência no protesto de quinta foi a polícia. Mesmo eu falando ‘gente eu estava lá’ e mostrando links e vídeos fui chamada de: vagabunda, baderneira, ridícula, burra…. Pois se uma pessoa fala ‘os manifestantes são todos X’ e eu sou manifestante então eu também sou X, daí quando você responde de forma mais grossa a pessoa vem com o hipócrita, mas você é diferente.

Eu devia ter escrito esse texto na sexta. Ele teria mais sentido, pois creio que apesar dos incidentes de hoje, as pessoas viram a diferença das manifestações com e sem a polícia. Não sei como foram os 3 primeiros atos, alguns dizem que a violência começou da polícia. Outros afirmam que foi um pequeno grupo que resolveu continuar da forma que eles julgavam certo (com vandalismo). Se foi isso, se um grupo menor saiu depredando tudo que viu pela frente eles estão errados, mas isso não justifica o que houve em São Paulo quinta nem o que rolou domingo no Rio de Janeiro.

Na quinta feira em São Paulo a coisa foi tão descabida que a Tropa de Choque jogou bombas mesmo com dezenas de homens da PM no local. Ou seja a polícia atacou a própria polícia. Isso prova o quanto a atitude foi truculenta e sem sentido. Além disso pessoas foram revistadas ao sair do metrô e quem tinha vinagre e máscara foi detido, pois vinagre é usado para diminuir os efeitos do gás lacrimogêneo. E algumas pessoas detidas na terça estão sendo acusadas de formação de quadrilha, crime inafiançável e as que tem fiança as fianças giram em torno de R$20 mil. Isso é repressão pura, digna de um AI-5 como li.

Quinta feira dia 13/06 como divulgado publicamente no facebook, houve a concentração das pessoas para o Quarto grande ato contra o aumento das passagens. Andando nas proximidades do Viaduto do Chá vi de longe um reforço de barricada e da Guarda Civil em frente a prefeitura, bem como alguns membros da Tropa de Choque, compreensível. Mas havia um tumulto na estação Anhangabaú que logo foi esclarecido, estava havendo revistas de todos que saiam da estação. O que por si só já é uma atitude repressora. Foram nessas revistas que várias pessoas foram levadas pra averiguação incluindo um repórter da Carta Capital por estarem portando vinagre. Mas no local mesmo da manifestação não tinha tantos PM’s. Apenas a quantidade normal que mandam pra qualquer evento com aglomeração de pessoas.

O 1º ato foi fechar a Xavier de Toledo, o que foi feito na hora que o semáforo fechou. Em menos de 20min a PM e CET tinha retirado carros e ônibus da Xavier e do Viaduto do Chá. E a manifestação pacífica, com batuques e gritos de ordem resolve andar. Na Praça da República pequena tensão por conta da dispersão da passeata e mistura com transeuntes, que estavam com medo e perdidos, pois o metrô havia fechado uma das saídas. Mas logo o grupo se reuniu na Ipiranga entre a praça e a Consolação. Voltamos a andar e paramos de novo na Consolação altura da Praça Roosevelt, como não havia carro de som quem estava atrás não sabia os porque das coisas. O bloco maior parava, todos paravam. Eis que surgem uns 20 homens da Tropa de Choque e em formação de guerrilha se posicionam no que seria a frente da manifestação. Ouvimos bombas, rojões, corre-corre e o bloco maior foi para a calçada e escadas da Rosevelt com algumas pessoas (manifestantes, curiosos e transeuntes) no entorno. Eu fiquei do outro lado da rua há poucos metros da PM e essa situação durou alguns minutos (10 ou 20), mas agora sem bombas, só o clima de tensão e os gritos dos manifestantes de “Sem Violência”.

Ou seja estávamos todos parados, e como num pesadelo surge uma parede preta se movendo com o som forte das batidas de cassetetes nos escudos, típica tática de guerra. Era a Tropa de Choque, com certeza mais de 100 homens. Gelei! Mas antes que eu pensasse no que fazer a guerra começou foi uma chuva de bombas com as pessoas correndo para todos os lados. Os que estavam na praça foram na sua maioria pra dentro da praça. Os que estavam do outro lado, manifestantes, curiosos, PM e quem estava passando, foi andando encostado a parede até a Rua Rego Freitas, já que a choque estava na outra ponta.

Se você não acredita fica aqui o vídeo

Pra quem não quiser assistir ou precisa de ‘legendas’. Um policial estava negociando com representante do movimento passe livre o trajeto da manifestação. Eles combinaram de esperar a chegada de uma outra pessoa pra fechar a negociação, a conversa segue, o policial elogia a manifestação diz ‘Dessa vez está de parabéns’, até 1:55 ainda dá pra escutar a voz do policial. Segundos depois dá pra escutar as primeiras bombas que a choque dispara na frente da Roosevelt, em 30 segundo as bombas chegam onde estava rolando essa negociação, esquina da Maria Antonia com a Consolação.

O que era uma manifestação pacífica virou cenário de guerra. Uma parte das pessoas (um grupo maior) tentava se reunir e manter o protesto, muitas pessoas foram embora e outras pessoas começaram a tacar fogo no lixo e quebrar coisas. Jovens com o rosto coberto e os típicos trombadões do centro se misturaram na ‘zona de guerra’ e iam as pressas amontoando lixo e tacando fogo. E o som das bombas não parava, mas era algo mais voltado para a multidão do que para os que estavam causando a destruição.

Ouvi muita gente falar ‘vi os caras vandalizando sem ter polícia por perto’. Jura? É preciso explicar que esse vandalismo foi a resposta do que aconteceu e não de uma perseguição ou coisa do tipo? Se você der um tapa em 100 pessoas a maioria vai embora, alguns vão tentar conversar e outros vão te dar uma voadora. Isso é humano. Só estando lá pra saber o que é olhar para uma parede de repressão e violência. É revoltante. Eu não concordo, mas entendo o porque tanta gente perde a cabeça. E isso tudo são táticas de guerrilha: “A medida que uma revolução pacífica se desenrola, o Estado emprega força bruta para gerar cenas de violência. Essa violência por sua vez prolonga a necessidade do Estado de fornecer serviços de segurança ao público. É um ciclo vicioso criado por tiranos para prolongar a sua permanência no poder.” Quem sabe se a Choque deixasse a manifestação prosseguir em paz e fosse caçar quem estava vandalizando um número menor de coisas teria sido depredado. Mas a preocupação deles era parar a manifestação em si. Foi preciso que eles acertassem uns 5 reportes para as pessoas começarem a acordar e a imprensa a pressionar.

Não sei o que motivou o vandalismo de hoje no Rio, que por mais que tenha sido na Assembléia Legislativa, me partia o coração por ser um prédio histórico. Mas por pior que seja isso não apaga a violência da Choque do Rio que soltou bombas num parque cheio de crianças. E não tem como culpar os manifestantes já que eles entraram pra se proteger.

Hoje segunda teve pelo menos 3 episódios de violência em BH, RJ e SP. Brasília mesmo tendo uma invasão ao Congresso não teve reação violenta da polícia. A de SP ficou claro que foi um ato de uma minoria, a maioria nem estava mais no local. Isso é normal, sempre vai ter os mais exaltados, os que acreditam no poder da violência, os que sentem prazer nessas atitudes… Então por mais que a maioria absoluta seja contra a violência e combata a mesma, sempre vai ter e por menor que seja, sempre vai chocar, ainda mais num país  despolitizado como o nosso. Pagamos pau pra Europa, mas lá protesto quase sempre tem incêndio de ônibus e carro. Não defendo que aqui tem que ter o mesmo. Mas também não precisa ficar chocado com o fato de colocarem fogo no lixo. É o calor do momento, seja revide da violência da Choque ou a própria adrenalina de saber que pode estar fazendo parte da história.

Só pra ficar claro, não tenho nada contra a polícia. Tenho contra o ‘estado’ que coloca a polícia contra manifestante. Ainda mais da forma que colocou quinta, causando tumulto e revolta popular. O policial está fazendo o trabalho dele, além de já ter sofrido previamente uma lavagem cerebral pela qual só os mais fortes resistem. A PM é feita pra defender o Estado/Sistema, o bandido comum prejudica o estado ao trazer insegurança, entre o bandido e o trabalhador a PM vai contra o bandido, mas quando esse trabalhador resolve gritar palavras que agridem o estado ele vira o alvo, pois está prejudicando o estado.

Não dá pra saber como vai ser daqui pra frente, mas se voltar a ter violência por parte da polícia manterei minha opinião de ‘não ódio’ a polícia. Pois a segurança no Brasil é precária como todo serviço público é, se está ruim com a polícia imagina sem. Ok, confesso que da Choque eu já não penso a mesma coisa…

E só pra que a violência que houve não ser esquecida termino com mais vídeos.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.